Familiares das vítimas do acidente na Base de Alcântara, no Maranhão, aguardam uma definição das autoridades sobre quando os corpos serão liberados para sepultamento. ?Ainda não sabemos quando será o enterro?, reclamou Alaíde Araújo, mulher de Luis Primon de Araújo, uma da vítimas do acidente. Segundo Alaíde, as autoridades ainda não definiram se enviam para São José dos Campos os corpos que já foram identificados ou aguardam a identificação de todos os mortos para que sejam transferidos juntos.

Pela manhã, um assessor ligado à prefeitura de São José dos Campos falou na possibilidade de o enterro ser na sexta-feira. Mas, à tarde, a Assessoria de Imprensa da prefeitura esclareceu que o enterro ainda não tem data marcada e que a decisão sobre o assunto é do Comando da Aeronáutica, em Brasília.

Uma comissão criada ontem pela prefeitura informou que tem intenção de construir um sepulcro especial em homenagem aos técnicos mortos no acidente e anunciou a concessão de bolsas de iniciação científica para os filhos das vítimas que estão cursando o ensino superior.

Participam da comissão representantes da Prefeitura, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, do Centro Técnico Aeroespacial e da Agência Espacial Brasileira.