Familiares das vítimas do acidente da Gol reuniram-se neste sábado (19) em um galpão da companhia, em Brasília, para identificar pertences dos passageiros. A vice-presidente da associação dos parentes, Angelita Rosicler de Marchi, afirmou que, depois da queda do avião, pessoas próximas das vítimas tiveram acesso somente a algumas fotos, enviadas por internet.

O Boing da Gol 737-800 chocou-se em setembro com um Legacy. No acidente, o maior da história do País, 154 pessoas morreram. Angelita adiantou que familiares iriam reivindicar maior acesso aos documentos sobre o acidente coletados pela Aeronáutica.

"Todo material é importante. Precisamos de todas as informações necessárias para que culpados sejam punidos. Quando um motorista sai por aí e mata cinco, seis pessoas, ele é preso. Queremos que o mesmo ocorra com os culpados do acidente do avião", disse Angelita.