O programa Farmácia Popular já distribuiu mais de 960 mil remédios em 23 unidades, localizadas nas cidades de Goiânia, Rio de Janeiro, São Paulo e Salvador. O programa, que foi lançado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva no dia sete de junho, faz parte da política do Ministério da Saúde para ampliar o acesso da população aos medicamentos considerados essenciais. Um dos objetivos é beneficiar as pessoas que têm dificuldade em realizar tratamentos devido ao alto custo de remédios.

A intenção do Ministério da Saúde é ampliar, até o final do ano, o número de farmácias para 100 unidades. ?Temos mais de 60 municípios com termos de intenção de aderir ao programa e quase 20 novas farmácias em andamento de obras?, explicou a coordenadora nacional do Farmácia Popular, Jamaira Giora, em entrevista ao Jornal NBR Manhã, da Radiobrás.

As farmácias disponibilizam 89 medicamentos que são adquiridos pela Fundação Oswaldo Cruz, órgão do ministério, de laboratórios farmacêuticos públicos ou do setor privado. Os preços são 40% a 90% menores do que os encontrados nas farmácias privadas. Segundo Jamaira, os medicamentos mais procurados até agora foram para tratamentos de cardiopatia e diabetes. ?Trabalhamos com uma lista de medicamentos que atende mais de 80% da necessidade das doenças?, afirmou. Qualquer pessoa pode comprar medicamentos nas farmácias populares, desde que apresente receita médica.