A Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop) anunciou nesta terça-feira que o faturamento das lojas em 2006 atingiu R$ 60,3 bilhões. O presidente da Alshop, Nabil Sahyoun, comemorou o dado. "Crescemos 5% em comparação com o ano passado, contando todos os shoppings do País, o que é um crescimento importante", avaliou.

A Alshop previa no início do ano que o acumulado de vendas ficaria em R$ 59,3 bilhões, em termos nominais, com projeção de R$ 58,5 bilhões em termos reais, ao considerar a inflação real de 3,5%, medida pelo IPM da Fundação Getúlio Vargas (FGV). O faturamento real ficou nesta perspectiva, entretanto teve agregado R$ 1,8 bilhão de faturamento nominal, em razão da abertura de novos pontos comerciais, chegando a R$ 60,3 bilhões, nominais. Em comparação com 2005, que fechou em R$ 55,3 bilhões, o faturamento real deste ano, de R$ 58,3 bilhões, foi R$ 3 bilhões superior, registrando alta de 5,42%.

De acordo com Sahyoun, no início do ano a Alshop trabalhava com perspectivas em cima da existência de 74.288 lojas em operação nos 601 shopping centers do País, mas alterou sua projeção com a chegada de 2.634 novas lojas em mais 21 shoppings centers. "O faturamento agregou novas lojas, o que contribuiu muito", afirmou Sahyoun. Se os lojistas estão satisfeitos com o índice de crescimento, isso é algo que, conforme Sahyoun, não é fácil de acontecer. "Satisfeitos eles (lojistas) nunca estão. Mas se levar em conta os altos e baixos da economia brasileira, ainda assim temos o crescimento, que de qualquer maneira, não deixou de ser um dado muito importante", analisou.

Para 2007, o presidente da Alshop já anuncia as estimativas do comércio. Segundo ele, as lojas deverão faturar aproximadamente R$ 60,3 bilhões, mas se o crescimento do PIB for de 3,5%, o valor pode subir para R$ 62,4 bilhões. Em termos nominais, o faturamento previsto chega a R$ 64,6 bilhões.

De acordo com a Alshop, em comparação com o censo de 2005, houve uma expansão de 3,49% nos empreendimentos ativos, e a elevação do número de shoppings foi de 601 para 622. Dos 21 novos centros de compras, 11 foram inaugurados este ano, outros 13 que já estavam em operação passaram a ser computados e três foram desativados. O censo revela ainda que o Estado de São Paulo continua sendo o grande pólo comercial – 31,35% dos empreendimentos estão no Estado. Só a região Sudeste do País centraliza cerca de 53,86% dos investimentos. De 2005 para este ano, o número de shoppings cresceu de 326 para 335.

Os grandes centros de compras, segundo Sahyoun, devem crescer ainda mais. De acordo com o presidente da Alshop, até 2010, 89 novos shoppings devem começar a ganhar vida. "Nos próximos quatro anos teremos 89 shoppings, entre projetos e em construção", declarou. Desse total, 61 já estão com a obra em andamento e outros 28 em fase de projeto. Os investimentos devem chegar a R$ 6 bilhões, envolvendo capital nacional e estrangeiro.