A confiança do consumidor em agosto diminuiu pelo terceiro mês consecutivo em agosto. É o que mostra a 21ª Sondagem das Expectativas do Consumidor, referente a este mês e divulgada hoje pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). De acordo com a instituição, a desaceleração do crescimento econômico e a turbulência política continuam sendo os principais fatores a motivar a diminuição do ânimo do consumidor brasileiro.

O levantamento entrevistou 1.438 chefes de domicílio entre os dias 1 a 22 de agosto desse ano. Pela pesquisa, 9,5% dos consumidores entrevistados acreditam que a situação econômica atual do País está melhor do que há seis meses. Mas na pesquisa anterior, referente a julho, essa parcela de consumidores satisfeitos era de 11,9%.

A FGV informou ainda que subiu de 37,3% em julho para 39 9% em agosto a parcela dos consumidores analisados que classificaram como pior a situação do País hoje do que há seis meses. Ao serem questionados sobre a situação econômica da família, a parcela dos consumidores que acreditam em situação melhor hoje do que há seis meses passou de 17,3% em julho para 15,2% em agosto. Porém, a parcela dos consumidores que acredita em situação da família pior hoje do que há seis meses também diminuiu: de 22,1% em julho para 20,7% em agosto.

A sondagem é realizada em 12 das principais capitais do País, e é apurada desde outubro de 2002, com periodicidade trimestral até julho de 2004 – quando passou a ser mensal.