O presidente Fernando Henrique Cardoso não decretará, por enquanto, estado de defesa no Rio de Janeiro, como pediu o prefeito César Maia (PFL) após o atentado na sede da Prefeitura na madrugada de hoje. ?Qualquer decisão será anunciada no momento apropriado. Depois de analisada e definida em conjunto, que não seja uma medida demagógica, mas pra valer, porque coisas como esta representam um símbolo inaceitável”, explicou FHC depois de se encontrar com o prefeito.