O presidente Fernando Henrique Cardoso referiu-se, indiretamente, hoje, em palestra no Rio, a uma possível vitória do candidato da Coligação Lula Presidente, Luiz Inácio Lula da Silva (PT-PL-PC do B-PCB-PMN), no segundo turno das eleições presidenciais. A referência foi feita em palestra no 22.º Encontro Nacional de Comércio Exterior (Enaex), no Hotel Glória, quando afirmou que os avanços ocorridos no governo foram tal que ?prova maior não pode haver além da tranqüilidade com que estamos assistindo o que pode vir a ser uma mudança bastante forte (será que vai ser? Talvez, não seja tão forte assim), tal foi a força das mudanças que fizemos?.

?Fica difícil, depois, de alguém assumir com pensamento contrário a cadeira presidencial e cumprir aquilo que disse que faria ou ser conseqüente com as críticas que tem feito porque a realidade vai se impor, não a de um governo, mas de uma sociedade que avançou.?

Fernando Henrique não se referiu diretamente à sucessão em nenhum momento, mas defendeu a manutenção da abertura da economia do País e as negociações comerciais externas, até mesmo na Área de Livre Comércio das Américas (Alca). ?No Brasil de hoje, estamos aproveitando, efetivamente, as oportunidades que o mundo oferece, mesmo em condições adversas.

O País tem aproveitado nichos de mercado internacionais e avançado com frieza.? Ele salientou, durante toda a palestra, que durou cerca de uma hora, a importância do mercado exterior para o crescimento da economia e disse que modificou a frase ?exportar ou morrer?, lema que lançou na posse do ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Sérgio Amaral. ?Não morremos e agora o lema é ?exportar para crescer??, afirmou.