São Paulo – A Fiat e a General Motors do Brasil (GM) estimam queda de até 30% no volume de exportações em 2006 por causa da desvalorização do dólar frente ao real. O presidente da GM do Brasil, Ray Young, prevê diminuição de 20% a 30% nos embarques de veículos em 2006. O diretor-superintendente da Fiat Auto para a América Latina, Cledorvino Belini, estima que as exportações deverão ser de 70 mil veículos em 2006, 30% abaixo dos 100 mil a serem exportados este ano.

Segundo Belini, o preço do carro nacional perdeu competitividade por causa da variação cambial e outras unidades da Fiat no mundo vão suprir parte da demanda atendida antes pelo Brasil.

Young declarou que a decisão de diminuir as exportações foi tomada porque a empresa está tendo prejuízo com as vendas externas. O executivo esperava obter lucro líquido no Brasil este ano, mas já admite que a meta ficará para 2006. Para Young, a política do governo deveria impedir que o real se valorizasse mais. "Esse câmbio atualmente é perigoso para nós."

Na sua opinião, o câmbio " ideal" seria de R$ 2,70. Tanto a Fiat como a GM esperam compensar o freio no mercado externo com as vendas no próprio mercado brasileiro no ano que vem.