Stephane de Sakutin/AFP

A Federação Internacional de Futebol (Fifa) negou-se a responder nesta segunda-feira as perguntas sobre os erros de arbitragem em sua coletiva diária, depois dos dois graves erros ocorridos nas partidas de deomingo pelas oitavas de final.

“Não abriremos o debate sobre a arbitragem em um breve encontro diário com a imprensa”, enfatizou o porta-voz da Fifa, Nicolas Maingot.

Maingot fez estas declarações depois que, no domingo, foi invalidado um gol do inglês Frank Lampard na vitória da Alemanha por 4-1, e validado o do argentino Carlos Tévez na vitória da ‘Albiceleste’ sobre o México (3-1).

Indagado em várias ocasiões sobre os erros dos árbitros, sobre o fato de não se recorrer à verificação por vídeo ou à “vergonha que a Fifa poderia estar sentindo”, o porta-voz insistiu em sua posição de que o tema não seria abordado com a imprensa.

Nicolas Maingot explicou que a negativa da Fifa em recorrer à arbitragem com vídeo está vinculada à posição da International Board, organismo regulador de leis da disciplina.

No entanto, o porta-voz criticou a difusão nos telões do Soccer City de Johannesburgo das imagens do questionado gol de Tévez, o primeiro da Argentina. “Isso não deveria ter ocorrido”, declarou.

O gol tirado de Lampard e o concedido a Tévez relançaram o debate sobre a utilização de vídeo para decidir sobre lances polêmicos no futebol, ao que se opõem tanto o International Board como a Fifa.