Não há mais filas de caminhões carregados com soja nos postos de fiscalização na divisa do Paraná com outros estados. Com os testes rápidos realizados deste ontem pela Secretaria da Agricultura os caminhoneiros que transportavam soja convencional foram liberados e os quinze que transportavam transgênicos foram barrados. As empresas responsáveis estão realizando novos testes para decidir o que fazer.

Os testes nas barreiras do Paraná continuarão a ser feitos até o próximo domingo (26). A partir da próxima semana os caminhoneiros terão que apresentar certificado das cargas, emitidos por laboratórios credenciados pelo Ministério da Agricultura.

O governo do Paraná está cada vez mais rigoroso no combate aos transgênicos e sanciona segunda-feira (27) lei estadual, já aprovada na Assembléia Legislativa, proibindo o plantio, industrialização e comercialização de todos os produtos geneticamente modificados.

Segundo o secretario da Agricultura, Orlando Pessuti, a fiscalização, tantos nas barreiras ou em qualquer lugar onde houver suspeita de transgênicos terá que ser mais minuciosa. Assim que a lei entrar em vigor vários órgãos ligados à defesa do consumidor do Paraná passarão a atuar em conjunto no combate aos transgênicos. O Procon não descarta inclusive uma blitz nos supermercados. As lavouras transgênicas devem ser interditadas.

O governador do Paraná, Roberto Requião (PMDB), comparou à liberação da maconha a medida provisória do governo federal que libera o plantio de soja transgênica. “Eu não legalizaria a operação da Monsanto, introduzindo à sorrelfa [de maneira disfarçada] semente proibida no Brasil. Falta só legalizar a maconha. Eu não tenho dúvida de que o governo errou liberando os transgênicos”, declarou, segundo o jornal Folha de S. Paulo.