Os juízes foram proibidos de contratar ou manter empregados, sem concurso, parentes de até terceiro grau. Ainda este ano, a regra deve ser aplicada também no Legislativo. É o que prevê a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) número 334, em tramitação na Câmara.

O relator da matéria, deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB ?SP), acredita que o fim do nepostimo permitirá um "resgate da cidadania" no país. O parlamentar classificou o momento como "propício" para a aprovação da medida.

Segundo ele, os estados do Rio Grande do Sul, do Rio de Janeiro e do Mato Grosso já têm emenda estadual proibindo o nepotismo. "Estão à frente de outros estados", avaliou Faria de Sá, para quem a proposta, ao ser aprovada no Congresso Nacional, passa a valer para os demais poderes, inclusive para o Executivo. "Isso é uma revolução no combate à prática do nepotismo", considera o deputado.