O Banco do Brasil libera na próxima semana os recursos do Plano Safra 2005/2006, para agricultores de todo o país. A garantia foi dada esta semana pelo vice-presidente de Agronegócios e Governo do Banco do Brasil, Ricardo Conceição. Segundo ele, "todos os entraves burocráticos já foram superados; todas as agências da instituição já têm suas normas e podem receber as propostas pois, a partir de segunda-feira (08), o dinheiro já estará disponível".

Ao assinar em Porto Alegre, os primeiros contratos de refinanciamento de títulos da dívida de produtores e cooperativas junto a fornecedores, na safra 2004/2005, Conceição anunciou a liberação de R$ 3 bilhões – sendo R$ 2 bilhões através do BB, para pagamento das dívidas de insumos agrícolas do ano passado.

O dirigente explicou que a linha de crédito especial foi instituída pelo Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat), por meio da resolução nº 444, de 20/07/2005, com utilização de recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), "como forma de minimizar o impacto da estiagem na cadeia produtiva do agronegócio".

Segundo o Banco do Brasil, o limite financiável é de até 80% do valor dos títulos emitidos e a taxa de juros é de 9,75% mais 4% ao ano, "sendo que 8,75% são assumidos pelos produtores e o restante 5% fica por conta do fornecedor". O público-alvo são empresas e cooperativas fornecedoras de fertilizantes, defensivos, sementes e serviços. A forma de pagamento é em até duas parcelas anuais, com prazo máximo de 24 meses.

Os quatro contratos de refinanciamentos assinados hoje na capital gaúcha, representam 182 beneficiados e totalizam R$ 3,5 milhões. A demanda no Rio Grande do Sul é de R$ 477 milhões e deve beneficiar cerca de 23 mil produtores rurais e 263 empresas fornecedoras de insumos no estado. O prazo para a contratação é até 31 de dezembro.