Flamengo e Botafogo fazem hoje um duelo pela liderança do Grupo A da Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca, às 18h10, no Maracanã. O clássico ainda reserva para os torcedores outros atrativos, como o retorno do atacante Obina ao Flamengo e a expectativa pela presença de Dodô no comando do ataque botafoguense.

Recuperado de uma contusão muscular, Obina retorna ao ataque do Flamengo e provoca a ida do meia Juninho Paulista para o banco de reservas. O técnico Ney Franco optou pela permanência do jovem Renato Augusto e deixou o experiente jogador fora do time titular

Além da volta de Obina, a formação da dupla de ataque com Souza, que foi artilheiro do Campeonato Brasileiro pelo Goiás, é aguardada com expectativa na Gávea. O próprio treinador, a princípio, não estava tentado a escalar os dois.

Apesar da desconfiança, Obina contou ter tido uma boa adaptação ao atuar com Souza. Inclusive disse ter ficado feliz ao marcar um gol com o passe do novo companheiro, durante os treinos da semana.

"O entrosamento vai ser o melhor possível. Tenho conversado muito com o Souza e estamos nos entendendo bem", disse Obina. "Vamos nos revezar, e a cada momento um estará fixo na área e outro fora dela.

Mas se os torcedores rubro-negros estão felizes pelo retorno do seu "xodó", os alvinegros ainda não sabem se poderão contar com os gols do artilheiro Dodô. As dores no pé esquerdo persistiram durante toda a semana e a tendência é a de que ele fique fora do clássico

Ciente do problema, o técnico do Botafogo, Cuca, escolheu André Lima para ser o substituto de Dodô, caso o atacante não se recupere. O jogador atuará na frente ao lado de Jorge Henrique.

André Lima confessou estar ansioso por atuar. Mas adotou um discurso de humildade ao elogiar Dodô e confessar também sua torcida pela recuperação do artilheiro. "Não vou me incomodar se eu ficar no banco aplaudindo o Dodô. Só que, se ele não jogar, estarei pronto para ajudar o Botafogo a vencer", disse André Lima, que já defendeu o Madureira, equipe do subúrbio carioca.

Para os supersticiosos torcedores alvinegros, o atacante apresentou um trunfo daquela época: nunca perdeu para o Flamengo.

E uma vitória hoje dará ao Botafogo a condição de líder do grupo A, com dez pontos e deixará o Flamengo no segundo lugar, com nove.