O porta-voz do FMI, Francisco Baker, disse hoje que é prematuro estabelecer um prazo, neste momento, para previsão do fim das negociações entre Brasil e o Fundo. “É arriscado criar expectativas que possam ser frustradas. Por isso, mantemos um nível de reserva, quase silêncio, que é inclusive de interesse do próprio país.”

Indagado sobre se a crise pela qual passa o Brasil neste momento é maior do que a ocorrida em 1999 e poderia facilitar a obtenção de um acordo, Baker disse que a crise de 1999 foi muito mais complexa. “As coisas agora estão mais equacionadas. A questão do câmbio não é mais um obstáculo”, afirmou Baker.