A Força Sindical lamentou, em nota, a manutenção da taxa básica de juros (Selic) em 16% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central. ?A impressão que temos é de que o governo, amparado por algumas boas notícias na área econômica, decidiu se dar por satisfeito com o pouco avanço que obteve. Seria esta uma forma de aproveitar as boas notícias e o crescimento da popularidade do presidente Lula para não desagradar os bancos e os investidores estrangeiros??, questiona a Força Sindical.

Segundo a entidade, ?decididamente, o governo não está preocupado em promover o reaquecimento econômico e o desenvolvimento social como o candidato Lula prometera nas eleições. Fosse assim, a taxa de juros, hoje, já estaria em um dígito, não em absurdos 16%?.

Em seu comunicado, a Força Sindical diz que aposta na sua campanha salarial unificada, que exigirá reajuste e aumento real dos salários, além da redução da jornada de trabalho, como uma alternativa para minimizar os efeitos dos juros sobre os rendimentos dos trabalhadores.