A Prefeitura de Foz do Iguaçu criou ? via decreto 15.625 ? a Unidade de Gestão Energética Municipal (UGEM). O mecanismo tem a meta de reduzir em 10% os gastos mensais com energia elétrica em repartições e órgãos do município. A administração paga atualmente, cerca de R$ 387,5 mil pelo consumo de energia elétrica todos os meses. A previsão é que o valor seja reduzido em R$ 348,8 mil.

A criação da UGEM foi publicada no Órgão Oficial de 29 de março de 2004. O decreto dispõe sobre o uso racional de energia elétrica no âmbito da administração municipal. A criação é resultado de uma parceria entre Prefeitura, IBAM (Instituto Brasileiro de Administração Municipal) e Copel.

Além de reduzir as faturas de energia, a unidade tem o objetivo de dar continuidade às ações de eficiência energética empreendidas nos diferentes setores do município. O instrumento vai permitir também que a Prefeitura conheça as potencialidades do município em relação aos recursos energéticos.

A unidade, segundo o diretor do Departamento de Iluminação Pública, Nestor Romko, consiste na gerência e otimização de todas as atividades que utilizem energia elétrica. ?A UGEM vai otimizar os recursos financeiros e implementar novas atividades com qualidade ambiental e eficiência energética?, ressalta.

Segundo o diretor, a implementação do serviço se divide em quatro etapas que são realizadas sob orientação de consultores do IBAM. A primeira foi a criação da UGEM, através de decreto 15.625.

As segunda e terceira etapas, realizadas nessa semana, consistem na capacitação dos membros que vão trabalhar com a unidade e implantação do software SIEM (Sistema de Informação Energética Municipal). A última parte é a elaboração do Plano de Gestão Energética Municipal, que segundo Romko, será realizada até outubro.