O acordo fechado ontem no Congresso para elevar o salário mínimo dos atuais R$ 200 para R$ 240 a partir de abril de 2003 durou apenas três horas. O entendimento foi fechado ontem de manhã na Comissão Mista de Orçamento do Congresso entre os líderes de todos os partidos na comissão, inclusive o PSDB. Diante da resistência da equipe econômica em aceitar o aumento de 20% para o mínimo, as lideranças governistas fizeram alguns aliados voltarem atrás no início da tarde.

O impasse criado em torno do salário mínimo adiou para a próxima semana a votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2003, que fixará as linhas básicas para a proposta orçamentária do primeiro ano do novo governo. Os partidos que assumiram publicamente o rompimento do acordo foram o PSDB e PPB – o PMDB não se manifestou, apesar do relator da LDO de 2003, senador João Alberto (PMDB-MA), ser favorável. O PFL, que disputa com o PT a bandeira pelo mínimo ao redor de US$ 100, se mostrou disposto a apoiar os partidos da oposição que lideraram o entendimento.