Foto: Arquivo

Carne de frango: projeções de consumo otimistas.

A produção de carne de frango deve superar a de carne bovina por volta de 2012/2013. É o que mostra o estudo Projeções do Agronegócio Mundial e do Brasil de 2006/2007 a 2017/2018, divulgado nesta semana, em Brasília, pelo ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes.

Segundo o coordenador da equipe técnica responsável pelo estudo, José Garcia Gasques, da Assessoria de Gestão Estratégica (AGE) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), as projeções do consumo revelam, ainda, a preferência dos brasileiros pela carne de frango, com crescimento projetado para 3,3% ao ano, no período 2007/08 a 2017/18. A carne bovina aparece em segundo lugar no prognóstico de aumento do consumo.

O trabalho, elaborado pela AGE do Ministério da Agricultura, informa que a mudança de hábito foi constatada na última Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF), do IBGE. Essa pesquisa diagnosticou que, nos últimos trinta anos, o brasileiro modificou sua alimentação, reduzindo o consumo de gêneros tradicionais como arroz, feijão, batata, pão e açúcar e aumentando, por exemplo, o consumo per capita de iogurte.

Exportações

Quanto às exportações mundiais de carne de frango, em 2016, terão como maiores exportadores o Brasil, com 2,96 milhões de toneladas; os Estados Unidos, com 3,19 milhões de toneladas e a Tailândia com 497 mil toneladas. Nesse sentido, as taxas de crescimento das exportações brasileiras, obtidas para as carnes no período 2007/08 a 2017/18, são as seguintes: bovina, 6,18% ao ano; suína, 4,85% ao ano, e de frango, 3,49% ao ano.

O trabalho, destinado ao planejamento estratégico do Mapa, baseia-se em informações e estudos prospectivos de entidades como a Organização das Nações Unidas (ONU) e sua representação para Agricultura e Alimentação (FAO), a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), IBGE, Conab, Ipea, entre outras, além de projeções efetuadas pela AGE.