Mais de 20 mil famílias que vivem em áreas remanescentes de quilombos, ribeirinhas, reservas extrativistas e assentamentos rurais vão ser beneficiadas com obras de abastecimento de água, melhoria nos sistemas sanitários residenciais e de esgotamento público. A Fundação Nacional de Saúde (Funasa) aprovou uma programação de obras de saneamento que serão realizadas este ano, com investimento previsto de cerca de R$ 30 milhões.

De acordo com o presidente da Funasa, Paulo Lustosa, a situação precária dessas comunidades acaba provocando uma grande incidência de doenças típicas da falta de saneamento. Ele disse que o objetivo da iniciativa é melhorar a saúde nessas localidades, garantindo à população o acesso a direitos sociais básicos. "O principal beneficio que essas pessoas vão ter é o ganho em saúde pública. Há um ganho significativo no que diz respeito aos direitos fundamentais da cidadania: o acesso aos direitos sociais básicos", disse.

"Na proporção em que atingimos essas populações e diminuímos a mortalidade, aumentamos a produtividade física dos trabalhadores, damos mais condições de desenvolvimento econômico e de inclusão social", garantiu Lustosa. Segundo ele não há como dissociar saneamento ambiental, saúde pública e meio ambiente.

Lustosa afirmou que as obras permitirão o acesso das comunidades à rede de água e esgoto, além da construção de banheiros e fossas. "Serão instaladas peças como vasos sanitários, pias de cozinha, tanques de lavar roupa, filtros e recipientes para lixo, lavatórios e caixas de água".

A primeira comunidade a ser atendida se localiza às margens do Rio São Francisco nos assentamentos de Bom Jesus I e II, na cidade de Pirapora em Minas Gerais. Com investimento de R$ 1 milhão, as ações do programa serão desenvolvidas por convênios com as prefeituras, que serão responsáveis pela aplicação do dinheiro.

As ações fazem parte do projeto Vigisus II, desenvolvido pela Funasa em parceria com o Banco Mundial. A meta para 2005 é alcançar todos os estados do país.E para desenvolver essa ação Fundação Nacional da Saúde tem como parceiros o Instituto de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Fundação Palmares, Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), Ministério das Cidades, Ministério das Minas e Energia e Caixa Econômica Federal.