Os funcionários do Banco Central (BC) em Brasília poderão decidir às 14h30 entrar em greve por tempo indeterminado. "Esta será uma proposta a ser discutida na assembléia de hoje", disse o presidente do Sindicato dos Funcionários do BC (Sinal) em Brasília, Paulo Calovi. Os empregados do banco querem garantir o cumprimento de acordo fechado com o governo em outubro do ano passado, que encerrou uma paralisação de 33 dias. Pelo acordo, os servidores do BC teriam reajuste de 6% em janeiro e de mais 4% em junho.

O problema, de acordo com o presidente do Sinal, é que o aumento prometido para janeiro não chegou a ser creditado nas contas dos servidores do BC. O governo, por sua vez, alega que não foi possível realizar o pagamento em função do orçamento deste ano ainda não ter sido aprovado pelo Congresso Nacional.

A greve por tempo indeterminado, segundo o representante sindical dos empregados do BC, se aprovada só deverá começar na segunda-feira da próxima semana. "Queremos ter quarta, quinta e sexta-feira para preparar uma greve forte", explicou. Antes de tomar uma decisão pela greve por tempo indeterminado, os servidores do BC já realizaram uma paralisação de 24 horas no dia 8 de fevereiro e outra de 48 horas nos dias 15 e 16 de fevereiro.