O Instituto de Desenvolvimento Educacional do Paraná ( Fundepar) está enviando esta semana a segunda remessa de gêneros alimentícios não perecíveis da merenda escolar, para 1.615 escolas da rede pública. O investimento é de R$ 4.3 milhões e está previsto no Programa de Alimentação Escolar. Ao todo, somando à remessa de produtos perecíveis – quase R$ 600 mil ? repassada no mês de junho, o Estado investiu R$ 4.9 milhões em remessas complementam a alimentação na escola.

Este repasse garantirá a refeição de 798 mil alunos da rede estadual pelos próximos 31 dias letivos. Além dos alimentos, as escolas atendidas pelo programa poderão verificar duas novidades: a primeira refere-se a presença de jogos pedagógicos presentes em todas as caixas que acondicionam os produtos, e a segunda está relacionada ao planejamento da alimentação escolar, que inclui o envio antecipado da relação de alimentos e quantidades por meio de correspondência impressa.

A presidente do Instituto, Sandra Ferrari Turra, explica que as novidades vêm contribuir para a melhora do processo. ?É mais um empenho do Fundepar para aperfeiçoar o programa?, diz. ?Além da preocupação em fornecer uma alimentação melhor a cada dia, também estamos disponibilizando materiais que permitem horas de lazer em diversas atividades extra-curriculares?.

A nutricionista Márcia Regina Stolarki, chefe do Departamento de Apoio Escolar da Fundepar, é defensora do envio da relação de alimentos de forma antecipada. ?Isso dá condições às escolas de planejarem melhor o cardápio alimentar dos alunos?, alega.

O programa contempla os 311 municípios paranaenses. No total serão distribuídos 1.586 toneladas, com 25 itens. Compõem esta remessa leite em pó, bebidas lácteas, sopa desidratada, biscoitos diversos, achocolatado, carnes, arroz, óleo, açúcar, macarrão penne e parafuso, canjica, entre outros.

Todos os lotes de alimentos foram submetidos ao controle de qualidade realizado pelo Centro de Pesquisa e Processamento de Alimentos (CEPPA), da UFPR, com a finalidade de garantir a composição exigida no edital e ausência de qualquer contaminação e trânsgênicos. ?Esse controle garante que os alimentos estejam dentro dos requisitos exigidos para proporcionar uma alimentação saudável à clientela escolar, sem contaminação e livre de possíveis fraudes?, afirma a nutricionista do programa.

O envio da alimentação não perecível, este ano, foi dividido em 3 remessas, totalizando seis mil toneladas para todo o ano letivo. A próxima e última remessa será enviada às escolas no final de setembro.