Um presidente ficou na história – Washington Luiz – por ter sido o autor da obra e da frase que a imortalizou: ?Governar é abrir estradas?. Hoje, um dos slogans do governo federal poderia ser algo tangente à variação ?governar é reconstruir estradas?, tal a configuração genuinamente lunar da maioria de nossa malha rodoviária.

O presidente Lula, no entanto, tem preocupação mais urgente com mensalões e mensalinhos que ficar queimando o bestunto com eixos, suspensões e rodados destruídos pelas intermináveis crateras que infestam as estradas País afora.

Contudo, o tema desse espaço é outro e pretende chamar a atenção para o projeto lançado pelo governo Requião, mediante a Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos – digna comemoração do Dia da Árvore -, com o escopo de plantar cinco milhões de mudas de essências nativas numa semana.

O secretário Luiz Eduardo Cheida lembra que. num período de cem anos, o Paraná perdeu cerca de 87% de sua cobertura florestal e, crime inominável contra a natureza, quase chegou à extinção de sua árvore-símbolo, a Araucaria angustifolia, o pinheiro-do-paraná que empolgou Saint-Hilaire, Bigg-Whitter, Lévi-Strauss e outros viajores ilustres que, através dos tempos, palmilharam nosso território.

Foi também sob o imenso dossel de um verde inigualável, que ao longo de mais de um século deambularam pela velhíssima Estrada da Mata do Rio Negro e pelos Campos Gerais na direção de Sorocaba os legítimos fundadores do Paraná, os tropeiros que conduziram milhares de alimárias para serem revendidas aos mineradores das Gerais.

Ponto destacado do projeto é a reconstituição das matas ciliares em todos os municípios. Barreira natural à contaminação e assoreamento das correntes fluviais, removida sem piedade pelo avanço da agricultura extensiva.

O plantio desses cinco milhões de árvores nativas deveria marcar a largada de um projeto mais ambicioso, visando plasmar na consciência dos cidadãos, especialmente crianças, adolescentes e jovens, a mentalidade ecológica permanente que contrapõe o mero efeito midiático de campanhas sazonais.

Um compromisso com a qualidade de vida, latente nas pessoas preocupadas com o futuro, está em franco resgate nesses dias tão carecidos de espírito altruísta, compreensão e respeito pelos semelhantes. Aplausos ao governo.