Os ministérios das Cidades e de Minas e Energia vão assinar um convênio, no dia 1°dezembro, com a Petrobras, para mudar a matriz energética dos transportes públicos. A informação foi dada pelo secretário-executivo de Transporte e Mobilidade Urbana do Ministério das Cidades, José Carlos Xavier, durante o evento Cidade Brasil, promovido pela Frente Nacional de Prefeitos.

Segundo Xavier, a mudança pode reduzir o preço das tarifas dos transportes. “Estamos construindo uma política de mudar o diesel como combustível principal por gás natural, que hoje temos em abundância no país. O gás pode vir a ser mais barato e promover o barateamento das tarifas, além de ser ambientalmente mais correto e diminuir nossa dependência em relação ao petróleo”, afirmou.

O prefeito de Aracaju (SE), Marcelo Deda, elogiou o esforço do governo para mudar a matriz energética. Mas lembrou que é importante discutir a redução do preço do diesel para ter um efeito em curto prazo nas tarifas. “O diesel é um dos principais pressionadores da planilha de custos e temos buscado avançar no debate que permita não apenas a substituição desse combustível. Seria importante que tivéssemos uma discussão, no sentido de reduzir o valor do óleo diesel para o transporte coletivo para forçar o rebaixamento que alcançaria algo em torno de 10% nas tarifas do transporte coletivo municipal do Brasil”, ressaltou.

O evento, que está sendo realizado no Hotel Grand Bittar, em Brasília, reúne prefeitos recém eleitos para conhecerem o municipalismo atual. Desde ontem estão sendo discutidos temas como transporte público, reforma tributária, segurança pública, lei de responsabilidade fiscal, entre outros.