O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates, chegou de surpresa nesta sexta-feira (19) a Basra, no sul do Iraque, em sua segunda viagem ao país em menos de um mês. Durante sua visita, Gates deverá se reunir com comandantes britânicos e outros aliados. A Grã-Bretanha, que mantém no Iraque o maior grupo de soldados entre os aliados dos Estados Unidos, com cerca de 7 mil homens na área de Basra, planeja retirar boa parte de suas tropas ainda este ano.

Gates afirmou, durante um giro de uma semana por Afeganistão e outros países do Oriente Médio, que estava ciente de que a situação de segurança no sul do Iraque era distinta da verificada em Bagdá, onde os Estados Unidos estão reforçando seus efetivos. Ao chegar a Basra, Gates se reuniu com o general George Casey, o principal comandante americano no Iraque, e com o general de divisão Jonathan Shaw, o comandante recém-chegado das forças britânica na região.

O secretário deverá se encontrar com comandantes da Polônia, Austrália, Dinamarca e Romênia e almoçar com soldados da coalizão que treinam militares iraquianos. Em sua primeira visita ao Iraque, após ter assumido o cargo em 18 de dezembro, Gates se reuniu em Bagdá com comandantes americanos e líderes do governo iraquiano, semanas antes de o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, ter anunciado sua nova estratégia para o Iraque, a qual inclui o envio de 21.500 soldados adicionais à capital e à província de Anbar, no oeste do país.