A diretora financeira da agência SMP&B, Simone Vasconcelos, entregou à Comissão Parlamentar Mista de Inquérito dos Correios uma lista com o nome de 12 pessoas a quem ela teria repassado dinheiro a pedido do empresário Marcos Valério, apontado como o responsável pelo suposto esquema de pagamento de mesadas a parlamentares. Os recursos totalizariam, segundo ela, R$ 7,7 milhões.

Segundo o documento apresentado por Simone, a maioria dos repasses foi feita em 2003 e o maior beneficiário foi o então tesoureiro do PL, Jacinto Lamas. Ele efetuou 14 saques da conta da agência, entre 16 de setembro de 2003 e 19 de fevereiro de 2004, totalizando R$ 2,4 milhões. A segunda pessoa que mais recebeu recursos foi João Cláudio de Carvalho Genu, assessor do deputado José Janene, do PP. Entre 17 de setembro de 2003 e 20 de janeiro de 2004 foram repassados R$ 1,6 milhões.

De acordo com Simone, também receberam dinheiro da SMP&B José Carlos Martinez (ex-presidente do PTB), Emerson Palmieri (tesoureiro do PTB), Raimundo Ferreia da Silva Junior (PT-DF), o ex-procurador Geral da República Aristides Junqueira, deputado José Carlos Borba (PMDB), Vilmar Lacerda (PT-DF), deputado Josias Gomes da Silva (PT-BA), José Luiz Alves (PL), Roberto Costa Pinho (assessor do Ministério da Cultura) e deputado Carlos Rodrigues (PL-RJ).

A diretora financeira informou que os repasses foram feitos por determinação de Marcos Valério. Também entregou a CPMI uma lista com nome de pessoas, segundo ela, indicadas pelo PT que receberiam recursos emprestados por Marcos Valério. Os recursos totalizariam R$ 55.841.227,81.