Em depoimento à Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Correios, a gerente financeira da agência SMP&B, Simone Vasconcelos, afirmou hoje que nunca participou de reunião com o empresário Marcos Valério e o ex-secretário de Finanças do PT, Delúbio Soares.

Segundo ela, Valério, que era seu chefe, convidou-a uma vez para ir a São Paulo, onde visitaram a sede do PT. Na ocasião, ela disse que foi apresentada a Delúbio Soares, mas não participou de reunião com ele.

Simone também disse não saber que cometia um crime ao participar das operações de repasse de dinheiro para parlamentares. "Com o desenrolar do processo, fui tomar a real dimensão das coisas", disse. "Sempre confiei que os diretores sabiam o que estavam fazendo", completou. Simone informou ainda que a empresa não operava com cartão de crédito. "Ninguém estava autorizado a usar cartão de crédito corporativo da SMP&B", afirmou.

Durante o depoimento, o senador Demóstenes Torres (PFL-GO) questionou se Simone havia repassado dinheiro no 14º andar do Hotel Gran Bittar em Brasília a uma cafetina da cidade chamada Jane. Simone negou conhecer Jane ou ter feito o repasse. De acordo com o senador, Jane promovia festas particulares para parlamentares e empresários em Brasília. Torres disse ainda que foi informado que Ricardo Machado, conhecido de Simone, também fazia pagamentos para as "famosas festinhas".