"O CT é nosso". Com essa frase, o presidente Giovani Gionédis resumiu a ‘surpresa’ que estava para ser anunciada desde domingo. O Coritiba quitou a dívida com o Bradesco e liberou da penhora o CT da Graciosa.

É um passo decisivo do saneamento financeiro do clube, que chegou a ser ameaçado de ter seu centro de treinamentos leiloado. Além de "limpar o nome", o Coxa zera a sua principal pendência e alivia um peso na consciência dos dirigentes e da torcida.

Gionédis reconhece que o Cori tinha uma ‘mancha’ na sua história recente. "Eu lembro do período em que assumi o clube e as outras torcidas faziam gozação com o Coritiba por causa das dívidas e das penhoras", conta o presidente.

Por isso, liberar o CT tornou-se uma questão de honra – assim como anteriormente fora feito com o Couto Pereira, que também correu risco de ser penhorado. (Leia a cobertura completa da entrevista nos jornais O Estado do Paraná e Tribuna do Paraná).