O deputado Alberto Goldman (PSDB-SP), eleito vice-governador de São Paulo, acusou o presidente Luis Inácio Lula da Silva de estar dividindo o País entre ricos e pobres com objetivo eleitoral. "Nunca fizemos esse discurso, que é feito diariamente por Lula em todos os locais. Todo dia, ele (Lula) tem uma frase pronta nessa linha, porque acha que vai ganhar a eleição dividindo ricos e pobres. Como os pobres são maioria, essa divisão pode levá-lo à vitória, mas inviabilizará o governo", afirmou.

Goldman questionou também o presidente da Câmara, deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP), que sugeriu aos "intelectuais tucanos" que tenham cuidado com o discurso que possa acirrar a divisão social no País. "Qual o dado concreto para ele dizer que estamos fazendo essa divisão? O presidente Fernando Henrique foi quem implantou os programas de base social que Lula hoje canta em prosa e verso. Todos os programas foram criados por Fernando Henrique. Ele (Lula) não criou nenhum", afirmou Goldman.

O tucano lembrou discursos feitos por Lula em um tom que, segundo ele, prega a diferença entre pobres e ricos, como a afirmação de que acusa Alckmin tem visão apenas para a elite e a de que seu adversário se preocupa apenas com o Sul e o Sudeste. Sobre a recomendação de Rebelo para que os "intelectuais tucanos" releiam "Os Sertões", livro de Euclides da Cunha que relata a Guerra de Canudos, Goldman reagiu: "Eu poderia orientar Lula a ler.