O governador Roberto Requião encerrou, na tarde desta segunda-feira (21), a primeira etapa do I Congresso Internacional de Polícia Comunitária, que reuniu cerca de 2 mil pessoas no Centro de Convenções de Curitiba e especialistas dos Estados Unidos, Canadá e Japão. ?Implantamos no Paraná o Projeto Povo, um dos braços da Polícia Comunitária. Também investimos no policial, pois queremos profissionais com bons salários e com formação?, disse o governador.

Requião relatou que o geoprocessamento, instrumento que permite mapear as condições de segurança pública em todo o Estado, vai balizar a distribuição de policiais. ?Existem lugares em que faltam policiais e eles receberão reforço. Vamos resolver esses problemas?, afirmou. Para o governador, não é só a quantidade de policiais que vai melhorar a segurança. ?É tolice investir no aumento dos efetivos, sem pensar na formação dos policiais. É nisso que estamos investindo?, completou. O governador também comentou que vai rever os critérios de estatura para admissão nas forças policiais.

Para atuar no policiamento comunitário, os policiais militares passam por treinamento específico, além do que recebem na academia. O modo de atuação em Policiamento Comunitário já entrou no currículo de formação dos policiais que são admitidos pela PM. Os 1.100 soldados admitidos neste governo passaram pelo treinamento, assim como ocorrerá com os mil novos policias que passarem no próximo concurso. Em 2003 e 2004, foram investidos cerca de R$ 2,5 milhões na formação de policiais civis e militares, já incluído treinamentos específicos para o policiamento comunitário.