O governador reeleito de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), acusou nesta terça-feira (24) o presidente e candidato à reeleição Luiz Inácio Lula da Silva de apresentar excesso de ironia e demasiada arrogância, por achar que as eleições já teriam terminado. Aécio comentou a participação de Lula no debate de ontem na TV Record e avaliou que, em determinados momentos, o presidente chegou até a faltar com respeito, não somente com o adversário, o tucano Geraldo Alckmin (PSDB), mas também com a sociedade brasileira.

"Me pareceu que ele estava achando que as eleições já tinham terminado. Acharam isso antes do final do primeiro turno e se surpreenderam. Pode ser que se surpreendam de novo. Arrogância e salto alto não fazem bem à candidatura alguma", afirmou o governador mineiro.

Aécio se reuniu no Palácio das Mangabeiras com cerca de 130 lideranças políticas do Estado, entre deputados federais, estaduais e prefeitos. Ele agradeceu o empenho dos presentes na candidatura de Alckmin na última semana e também criticou as recentes declarações do governador eleito da Bahia, Jaques Wagner (PT), que afirmou que os petistas envolvidos no caso do dossiê Vedoin podem estar mentindo, protegidos pelo "direito, concedido pela lei, de que o réu não é obrigado a dizer toda a verdade". "Vitória e derrota fazem parte da vida pública. O que nós não perderemos é a compostura", comentou.

O governador de Minas conclamou as lideranças para que continuem a campanha nesses últimos dias e disse acreditar que vai haver um despertar na população. Ele disse que os brasileiros vão optar por um Brasil diferente e que espera que, em Minas, Alckmin tenha um ótimo desempenho. Depois do encontro, Aécio acompanhou Alckmin ao centro de Belo Horizonte e seguiu para o Café Nice, tradicional ponto de parada de políticos em campanha na capital mineira.