O Paraná tem como meta retirar do trabalho infantil 152 mil crianças, com menos de 16 anos, até 2006. Para isso, o governo do Estado está implementando várias ações econômicas de cunho social como o Luz Fraterna e Tarifa Social da Sanepar para reduzir a dependência das famílias do trabalho de seus filhos.

A afirmação é do governador Roberto Requião que, nesta segunda-feira, recebeu a caravana de crianças que estão percorrendo o país para alertar a sociedade da necessidade de lutar para a erradicação e prevenção do trabalho infantil. A caravana vai percorrer todos os Estados brasileiros e termina no fim de novembro, em Brasília, quando será recebida pelo presidente da República.

No Paraná, das 348 mil crianças, dos 5 aos 17 anos, incorporadas ao trabalho infantil, 45 mil já estão sendo atendidas pelo Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti), do governo federal. De acordo com a secretaria do Emprego, Trabalho e Promoção Social, gestora do programa, as famílias carentes que mantém os filhos na escola recebem uma bolsa de R$ 40,00 no meio urbano e de R$ 25,00 no meio rural.

De acordo com o Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil, dos 2 milhões de crianças paranaenses até 15 anos, cerca de 190 mil estão na agricultura familiar, trabalho infantil doméstico e coletando esmolas nas ruas