O governador Roberto Requião sancionou o aumento dos policiais civis e militares do Paraná, nesta quinta-feira. As duas mensagens tinham sido encaminhadas no mês passado para a Assembléia Legislativa e foram aprovadas no dia 30 de novembro. Em média, será de 40% o aumento no salário dos policiais civis. Na PM, para os soldados de primeira classe até primeiro-tenente da ativa e da reserva da Polícia Militar, o aumento no salário-base pelas novas gratificações pode chegar a quase 60%.

A lei entra em vigor assim que for publicada em Diário Oficial, mas o salário de janeiro de 2006 já virá com o reajuste. O aumento será integral aos policiais civis e pago em parcelas aos policias militares. A razão para o parcelamento é o número de funcionários da PM que, entre ativos e aposentados, é seis vezes maior que o da Polícia Civil.

A mensagem contempla uma diferenciação para os que têm nível superior e para os que não têm. Os policiais estavam há 11 anos sem receber reajuste. A categoria teve um reajuste no começo do governo Requião e agora estão recebendo mais um. Para os policiais militares, o governo deu um aumento para alcançar o padrão dos policiais civis.

?Queremos agradecer pelo reajuste aos deputados e a toda equipe do governo e também ao governador Roberto Requião?, afirmou o presidente do Sindicato das Classes Policiais Civis Paraná (Sinclapol), Paulo Roberto Martins. ?Uma das grandes virtudes é a paciência é saber fazer a negociação?, completou.

Segundo o secretário da Segurança Pública, Luiz Fernando Delazzari, o projeto de modernização funcional da Polícia Civil tem como metas promover reajustes na remuneração, instituir estruturas de tabelas de vencimento mais flexíveis, propiciar o desenvolvimento na carreira e aprimorar a capacitação profissional.