O secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos Luiz Eduardo Cheida reuniu-se, nesta quarta-feira, nos municípios de Mamborê, e Boa Esperança com cerca de mil pequenos produtores rurais que no próximo mês de setembro participarão do plantio de cinco milhões de mudas que será realizado em cinco dias para recomposição da mata ciliar.

?O plantio irá ocorrer entre os dias 18 e 24 de setembro simultaneamente nos 399 municípios do Paraná em comemoração ao Dia da Árvore que acontece em 21 de setembro?, afirmou o secretário Cheida.

O Programa Mata Ciliar prevê o plantio de 90 milhões de árvores de espécies nativas nas margens dos principais rios do Estado, mananciais de abastecimento, reservatórios de usinas hidrelétricas e unidades de conservação. Desde 2004 já foram plantadas 24,8 milhões de mudas. ?Em 2004 nós estipulamos a meta de plantar um milhão de árvores em um dia e com a participação dos municípios plantamos 300 mil mudas a mais?, lembrou Cheida.

Apenas em Mamborê 400 agricultores solicitaram 120 mil mudas produzidas pelo viveiro doado pelo Programa para o plantio no Dia da Árvore. No Município de Boa Esperança o secretário falou para outros 300 produtores rurais que já iniciaram a recomposição da mata ciliar e que também irão aderir ao plantio.

?É a primeira vez que ouvimos falar que a mata ciliar está na legislação e que melhora a qualidade da água?, disse o produtor Durvalino de Souza de Mamborê. Ele tem participado das reuniões mensais que o IAP está realizando na região para orientar os produtores.

Plantio

A coordenação do Plantio será feita pela Secretaria do Meio Ambiente em parceria com a Secretaria da Agricultura e Abastecimento. O trabalho de campo está sendo realizado pelos técnicos do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e da Emater, que estão percorrendo as propriedades localizadas às margens dos rios e orientando os agricultores sobre as espécies e áreas indicadas para a recomposição da mata ciliar.

As mudas utilizadas no plantio serão apenas de espécies nativas como, por exemplo, peroba, canela, araucária e ipê. ?Estamos priorizando as propriedades localizadas em áreas de manancial de abastecimento e que estão próximas a Unidades de Conservação?, enfatizou a coordenadora do Programa de Mata Ciliar, Ângela Carvalho.

Segundo ela, a proposta da Secretaria do Meio Ambiente é conectar fragmentos florestais com o plantio de mata ciliar fortalecendo a formação de corredores de biodiversidade. ?Nas propriedades próximas a Unidades de Conservação o plantio vai conectar a mata ciliar da área com o Parque formando corredores e garantindo a disseminação de espécies?, explicou Ângela.

Através do Programa Mata Ciliar foram investidos cerca de R$ 10 milhões na aquisição de viveiros doados a 245 municípios do Paraná, cada um deles possui capacidade para produzir 100 mil mudas por ano. Outros 100 viveiros serão entregues no mês de setembro. Toda produção está sendo supervisonada pelos escritórios regionais do IAP.

Cheida também participou no município da Conferência da Agenda 21 Mamborê, em que estão sendo promovidos debates para construção coletiva da Agenda 21 local.