O governo argentino aguarda a chegada  amanhã (06), do secretário do Tesouro americano, Paul O?Neill, sem expectativa de anúncios nem de ajuda para o país, que tenta, há vários meses, fechar um acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI). O chefe do Gabinete, Alfredo Atanasof, esclareceu que o governo não espera O?Neill ?como se fosse Papai Noel com um saco de presentes?. Na verdade, O?Neill é quem receberá alguma coisa: não presentes, mas cartas de protesto de organizações sociais, sindicais e partidos políticos  que realizarão manifestações contra ele.

Atanasof procurou deixar bem claro que ?não vinculamos? a visita de O?Neill com o acordo entre a Argentina e o FMI. O americano chega por volta das 17h locais, proveniente do Uruguai  e tem reunião agendada em seguida com o presidente Eduardo Duhalde, na residência oficial de Olivos. Janta com empresários e, na quarta-feira cedo toma o café da manhã com o ministro da Economia, Roberto Lavagna. O?Neill afirma que vai ?falar com o povo? e visitará um hospital e duas fábricas.