Brasília – O governo arrecadou R$ 33,601 bilhões em março em impostos e contribuições. A arrecadação anual já é de R$ 102,768 bilhões. O resultado do mês é 11,78% superior a março de 2006. No ano, a variação é de 10,16%.

Na comparação entre março deste ano e o mesmo mês de 2006, cresceu principalmente a arrecadação do imposto de renda da pessoa física, que foi de 67,41%, chegando a R$ 619 milhões. De acordo com o secretário adjunto da Receita Federal, Carlos Alberto Barreto, este aumento se deve à arrecadação dos ganhos de capital na venda de bens, como imóveis, que chegou a R$ 153 milhões; aos ganhos líquidos em operações na bolsas de valores, de R$ 106 milhões, e a depósitos judiciais, que renderam à Receita R$ 79 milhões.

Também houve aumento em 22,15% na arrecadação do imposto de renda e em 26,58% na  Contribuição Social sobre Lucro Líquido das empresas, provocado, especialmente, pelo elevação do lucro das empresas.

O crescimento no primeiro trimestre na comparação com o mesmo período do ano passado também é explicado pelo recolhimento do imposto de renda da pessoa física, que aumentou 55,77%. Só nos ganhos de capital, provocado pela venda de bens duráveis (como imóveis), o recolhimento do imposto subiu 185,59%.