Os três hospitais universitários ? de Londrina (UEL), de Maringá (UEM) e de Cascavel (UNIOESTE) ? já têm autorização do Governo do Estado para realizar concurso público destinado ao preenchimento de 425 vagas, em substituição aos contratos temporários que estão vencendo e que foram autorizados em caráter excepcional.

A autorização foi dada na última quarta-feira (19), pelo governador Roberto Requião e marca o início da recomposição do quadro de carreira do pessoal dos três hospitais universitários. A medida também complementa várias outras ações de cunho administrativo empreendidas pelo Governo do Estado/Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior em benefício das instituições de ensino superior.

?Além das universidades estaduais que mantém os três hospitais universitários também ganham com essa medida as regiões Norte e Oeste do Estado?, comemorou o secretário de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldair Rizzi. ?Demonstra também mais um passo do Governo do Estado na recuperação do planejamento e das políticas públicas para o ensino superior público e para a saúde do Paraná?, acrescentou.

Economia e vagas – Segundo a Secretaria de Estado da Administração, o custo mensal para as universidades com contratos temporários soma R$ 656 mil, totalizando R$ 7,9 milhões/ano. Com a realização de concurso, os valores caem para R$ 542 mil/mês e R$ 6,5 milhões/ano, representando uma economia de R$ 1,4 milhão/ano.

Das 425 vagas, 335 poderão ser preenchidas através de concurso público a ser realizado de imediato e o restante (90 vagas) na seqüência, a partir da promulgação de lei que amplia as vagas atualmente existentes. O anteprojeto de lei que trata da ampliação dessas vagas já foi encaminhado pelo governador à Assembléia Legislativa.

As vagas foram distribuídas conforme as necessidades dos hospitais universitários da seguinte forma: 167 para o Hospital Regional do Norte do Paraná (HURN) da Universidade Estadual de Maringá; 99 para o Hospital Regional do Norte do Paraná (HRNP) da Universidade Estadual de Londrina; e 69 para o Hospital do Oeste do Paraná (HUOP) da Universidade Estadual do Oeste. Já as outras 90 vagas que dependem de lei foram distribuídas na seguinte proporção: 56 para a UNIOESTE, 19 para a UEL e 15 para a UEM.

As 335 vagas que poderão ser preenchidas na primeira fase são para ajudante geral, auxiliar de lavanderia, zelador, porteiro, auxiliar de cozinha, auxiliar de nutrição, vigia, motorista, almoxarife, assistente de farmácia, auxiliar de enfermagem, técnico administrativo, técnico de enfermagem, técnico de laboratório, técnico de radiologia, assistente social, bioquímico, enfermeiro, farmacêutico, médico, nutricionista, psicólogo e médico plantonista.

As outras 90 vagas que estão sendo criadas são para as funções de ajudante geral, auxiliar de laboratório, auxiliar de enfermagem, técnico de enfermagem, técnico de laboratório, assistente social, bioquímico, enfermeiro e farmacêutico. (Número de vagas para cada uma destas funções em www.seti.gov.br).