Brasília – Alunos portadores de deficiência vão ter acesso facilitado aos campus das universidades públicas. Eles poderão contar com modificações na estrutura dos prédios, além de material didático adequado. O Programa Incluir, do Ministério da Educação, prevê investimentos de R$ 1 milhão para melhorar o cotidiano desses estudantes.

O programa foi criado para ajudá-los a superar situações de discriminação e prevê ações de conscientização sobre o problema, além de projetos pedagógicos como cursos de extensão para que professores e funcionários atendam melhor os portadores de deficiência.

Segundo a coordenadora do programa, Tatiana Grama, 33 universidades de todo o país apresentaram projetos voltados para o atendimento dos estudantes. "A gente sentiu a necessidade de trazer do governo federal para as universidades federais um projeto que permitisse a inclusão através da acessibilidade, na forma de construção de estruturas físicas e equipamentos", assinala.

O Ministério da Educação liberou em dezembro os recursos do Programa Incluir e está acompanhando, por meio de relatórios das universidades, o andamento dos projetos.