Recife – Quarenta e sete universidades e centros tecnológicos do país devem receber R$ 150 milhões do governo federal para fortalecer as estruturas de pesquisa. Os recursos, que integram as ações do Programa de Infra-estrutura das Instituições de Ciência e Tecnologia Públicas (Proinfa), são oriundos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.

O convênio que permite a liberação do montante foi assinado nesta sexta-feira (11) pelo ministro da Ciência e Tecnologia, Sérgio Rezende, e pelo presidente da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) Odilon Marcuzzo.  A solenidade ocorreu no Recife, durante reunião extraordinária da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes).

Segundo o ministro, a idéia é melhorar gradativamente a qualidade do ensino de nível superior. "Queremos dotar os laboratórios de equipamentos de última geração para ampliar a infra-estrutura de pesquisa, que atinge diretamente os programas de pós-graduação, mas também beneficia o ensino do terceiro grau como um todo".

A instituição que deverá receber o maior aporte financeiro é a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a qual serão destinados R$ 6,9 milhões.  A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), em São Paulo, deve ser contemplada com R$ 4,4 milhões.

O repasse para a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), que hoje completa 60 anos, vai ser de R$ 3, 6 milhões. A verba será destinada às áreas de metrologia e datação arqueológica, pesquisa em fármacos, nanociência (área que estuda materiais de pequenas dimensões), além da melhoria do acervo da biblioteca de ciências humanas e sociais. O reitor da UFPE, Amaro Lins, destacou que os recursos vão contribuir para consolidar pesquisas estratégicas ao desenvolvimento do estado.

O presidente da Finep, Odilon Marcuzzo, explicou que projetos para liberação dos recursos, elaborados pelos grupos de pesquisa, foram apresentados pelas reitorias das instituições no mês de abril. Segundo ele, nos últimos quatro anos, a Finep liberou R$ 600 milhões para modernização da infra-estrutura de pesquisa das instituições públicas científicas e tecnológicas do país.