O ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Guido Mantega, informou que o governo deverá ampliar, mais uma vez, o limite de gastos de alguns ministérios. Mantega não disse qual será o volume liberado. “Vamos ter um pequeno espaço (para liberação de recursos); o valor ainda não está definido, mas deverá ser na casa dos milhões”, disse. O Ministério do Planejamento e Orçamento concluirá hoje o relatório bimestral sobre o comportamento das receitas e despesas da administração federal. Segundo ele, a projeção de arrecadação para o ano será elevada de R$ 414 bilhões para R$ 418 bilhões. É exatamente essa variação que permitirá o aumento do limite de dispêndios de algumas pastas. A autorização destas novas verbas, entretanto, não será promovida nos próximos dias. O Ministério do Planejamento tem adotado uma sistemática de, a cada bimestre, de avaliar as receitas e despesas e, sendo possível, eleva a reserva de dinheiro para empenho. Depois disso a liberação de dotações é feita por meio de portarias específicas, com ampliações para projetos determinados, e não um aumento generalizado do limite de empenho dos ministérios como um todo. Segundo Mantega, o acréscimo da projeção de arrecadação de 2004 é reflexo direto do crescimento econômico do País, que tem vindo acima do previsto pelo Poder Executivo. “Esperávamos um crescimento de 3,5%, mas ele deverá ser de 4% ou mais de 4%”, afirmou.