Brasília ? O governo federal pretende aumentar as vendas de microcomputadores populares na época do Natal com o programa Computador para Todos. Segundo o assessor especial da Presidência e coordenador do programa, Cezar Alvarez, o governo irá realizar uma campanha promocional nos meios de comunicação, especialmente rádios e televisões, na segunda semana de dezembro, anunciando micros que podem ser comprados por no máximo R$ 1.400.

A idéia é informar as famílias com renda maior que três salários mínimos, público-alvo do programa, sobre o computador mais barato. "A intenção de consumo de um equipamento como esse é muito forte, porque significa perspectiva de acesso ao conhecimento, trabalho, instrumento de apoio na economia informal e lazer", afirmou o coordenador.

O grupo concluiu o programa depois da sanção da Medida Provisória 255, que isenta do PIS e Cofins a venda de computador de até R$ 2,5 mil, o que significará uma queda de 9,25% no preço do equipamento.

O consumidor tem linhas de crédito oferecidas pelos bancos do Brasil e Caixa Econômica Federal, bancos que dispõem de R$ 250 milhões para o programa. O varejista também pode solicitar crédito no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) com o compromisso de que irá repassar o recurso para o consumidor final, por meio do crediário da loja, com taxas de juros de até 3% ao mês. A empresa terá cerca de 30 meses para quitar o empréstimo. O BNDES tem R$ 300 milhões para aplicar no programa.

Mais informações sobre o programa podem ser acessadas na página da internet www.computadorparatodos.gov.br