O secretário da Agricultura, Newton Pohl Ribas, anunciou nesta terça-feira (26) a liberação de recursos pelo Ministério da Agricultura para melhorar a defesa sanitária animal e vegetal no Paraná. O valor do convênio é de R$ 5 milhões. São R$ 4,7 milhões para a defesa animal e R$ 300 mil para a defesa vegetal.

De acordo com o superintendente regional do Ministério da Agricultura, Valmir Kowaleski, os recursos estarão disponíveis a partir da próxima quinta-feira (28). ?Os recursos estão chegando agora, mas poderão ser aplicados até o final do primeiro semestre de 2007. Não conseguimos liberar este convênio antes por causa do período eleitoral, mas é uma grande vitória anunciar esse repasse agora, pois a Secretaria da Agricultura poderá iniciar os trabalhos no próximo ano tendo dinheiro em caixa?, destacou Kowaleski.

Para a defesa animal, os recursos são destinados a todos os programas desenvolvidos pela Secretaria da Agricultura na área de sanidade, entre eles o controle e prevenção de doenças como febre aftosa, brucelose e tuberculose. ?Por meio deste convênio a Secretaria da Agricultura vai poder adquirir mais 50 carros para uso da fiscalização e mais três utilitários para atuação nas barreiras volantes; 130 aparelhos de localização por satélite; 50 microcomputadorres e cinco notebooks; além de móveis para todas as Unidades Veterinárias existentes no Estado?, adiantou o secretário Newton Pohl Ribas.

Outros R$ 974 mil estão sendo liberados para o Programa Nacional de Sanidade Avícola, especialmente para atender ocorrências emergenciais de doenças como newcastle e gripe aviária. Entre as aquisições previstas neste setor, estão 20 veículos, 35 microcomputadores e cinco notebooks, além de 161 kits de equipamentos de proteção individual (vestimentas que garantem proteção aos técnicos contra vírus).

Na área de defesa vegetal, os R$ 300 mil repassados pelo Ministério da Agricultura serão usados para prevenir e controlar doenças que afetam a bananicultura e a citricultura. Também serão aplicados recursos na fiscalização do trânsito de vegetais, principalmente nas divisas do Paraná.

?Estes recursos são bastante significativos, levando-se em consideração a importância da fruticultura na fixação dos trabalhadores no campo, inclusive em regiões tradicionais produtoras de grãos do Estado, gerando cinco empregos por hectare, em média, contra 0,2 na cultura da soja, por exemplo?, explicou o secretário.

As ações desencadeadas pela Seab, em consonância com as diretrizes do Ministério da Agricultura, concentram-se na prevenção, erradicação e controle de pragas. O Paraná tem aproximadamente 30 mil hectares cultivados com cítricos – laranja e lima ácida nas regiões Norte e Noroeste, onde boa parte da produção vai para três indústrias de suco da região, e tangerinas para mesa na região do Alto Vale do Ribeira. Os recursos vão ser aplicados na identificação de pragas, na educação sanitária e na realização de levantamentos em pomares e viveiros de mudas.

Outro setor que vai receber investimentos é a bananicultura, que nos últimos anos teve prejuízos com o surgimento da sigatoka negra nas lavouras. A cultura da banana apresentou um grande crescimento na última década, atingindo 9,7 mil hectares de área cultivada, onde são produzidos cerca de 231,5 mil toneladas da fruta. As principais regiões produtoras são Guaratuba, Antonina, Morretes e Guaraqueçaba, no litoral; a região de Cornélio Procópio, no Norte do Estado, representada principalmente pelo município de Andirá e, em menor escala, a região Oeste, tendo como maiores produtores Foz do Iguaçu e São Miguel do Iguaçu.

O controle do trânsito de vegetais será melhorado com os recursos que estão sendo repassados pelo Ministério da Agricultura. ?A Seab, visando aperfeiçoar o controle do trânsito vegetal no Estado, vem implementando melhorias nas barreiras, como a entrada em funcionamento do software Sistema de Trânsito de Vegetais, inicialmente via intranet, para registro e consulta de dados das cargas que entram no Paraná?, disse o secretário da Agricultura. ?O Paraná é um dos poucos Estados, se não o único, a implantar sistema informatizado para controle do trânsito de vegetais no Brasil?, acrescentou. Em contrapartida aos recursos anunciados pelo Ministério, o Governo do Estado vai investir cerca de R$ 1,4 milhão nesta área.