O governo Federal por meio do ministério do Desenvolvimento Agrário colocou em prática um pacote de medidas para amenizar os efeitos da seca na região Sul. No Rio Grande do Sul, a estiagem é a maior dos últimos 40 anos.

Apesar da chuva ter voltado no fim de semana, as repercussões dessa estiagem atingiram muitas famílias, principalmente no meio rural. As medidas implementadas pelo governo somam R$ 1,2 bilhão e objetivam auxiliar os agricultores familiares com financiamento. Além disso, as dívidas dos produtores atingidos com os bancos serão extintas com o seguro que faz parte do contrato de financiamento. Um dos objetivos dessa medida é evitar que o agricultor abandone sua atividade.

"Este ano o país pode contar com o seguro Agrícola de Agricultura Familiar", disse o secretário Executivo do Ministério do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, à Rádio Nacional AM. "No momento em que os agricultores financiaram suas lavouras, por meio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar, o Pronaf, também obtiveram o seguro agrícola", explica Cassel. O produtor pode ter acesso ao seguro procurando o sindicato, a cooperativa ou a qualquer agência do Banco do Brasil e registrar a perda da lavoura.

Estima-se que 60% de culturas como a do milho, por exemplo, foram perdidas. Os prejuízos contabilizam cerca de R$ 13 bilhões para a economia do Rio Grande do Sul.