O governo federal liberou nesta segunda-feira (16) R$ 20 milhões para ações de combate à febre aftosa no Mato Grosso do Sul, valor que é um terço dos cerca de R$ 60 milhões pedidos pelo governo daquele Estado. O dinheiro foi liberado por meio de uma portaria conjunta dos ministros do Planejamento, Paulo Bernardo, e interino da Fazenda, Bernard Appy. Os recursos serão usados prioritariamente para indenizar pecuaristas que foram obrigados a sacrificar animais desde o início deste ano, após a constatação de que o vírus da aftosa ainda estava circulante naquele No Mato Grosso do Sul

Só na região de Eldorado, Mundo Novo e Japorã, onde ressurgiu a febre aftosa no País em fazendas de pecuária comercial, no final de 2005, 24,8 mil animais abatidos, de acordo com informações da Secretaria de Desenvolvimento Agrário, Produção, Indústria, Comércio e Turismo (Seprotur) do Mato Grosso do Sul. "Agora poderemos dar continuidade aos trabalhos de recuperação do status sanitário de Mato Grosso do Sul", informou a secretária Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias.

A Superintendência Federal da Agricultura (SFA) no Mato Grosso do Sul informou que até o final desta semana toda a parte documental das indenizações deve estar concluída. Uma comissão com técnicos da Seprotur, Federação da Agricultura e Pecuária de MS (Famasul), e da SFA irá fazer a avaliação comercial de todo o rebanho abatido e a previsão é que na próxima semana parte dos 77 produtores seja ressarcida.