Uma preocupação constante das autoridades e da própria sociedade civil é com a segurança de crianças e adolescentes durante o período de férias. É entre os meses de dezembro de fevereiro que muitas famílias e veranistas viajam em direção ao Litoral paranaense e nesta época pode-se constatar o aumento da violência contra crianças e adolescentes e da prostituição infantil.

O secretário do Trabalho, Emprego e Promoção Social, padre Roque Zimmermann, lembra que a Secretaria mantém programas permanentes para combater a prostituição infantil, mas admite que, durante as férias e principalmente no Carnaval, os casos aumentam. ?Nós temos o programa Sentinela, que atende diretamente as crianças vítimas de abuso e violência sexual, além de outros programas federais e estaduais que ajudam indiretamente a evitar casos de desrespeito aos direitos da criança?, garantiu o secretário.

Padre Roque destacou o mérito da participação da sociedade civil, como as ações que o Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares, Casas Noturnas e Similares do Litoral Paranaense vem promovendo durante este verão. ?Essa mobilização da sociedade só acrescenta para resultados positivos. A campanha junto aos donos e funcionários desses estabelecimentos pode ajudar a conscientizar para o combate da exploração sexual infanto-juvenil?, destacou Roque Zimmermann.

O secretário ainda lembra que todos os Escritórios Regionais da Secretaria estão disponíveis para o atendimento de qualquer caso ou denúncia de exploração sexual de crianças. O telefone para denúncias de qualquer parte do país é o 0800 990 500.