O Ministério da Agricultura não confirmou informação do Ministério da Agricultura e da Administração Estatal de Supervisão de Qualidade, Inspeção e Quarentena da China (AESQIQ) de que o governo chinês teria proibido a importação de carne de aves e de subprodutos do Rio Grande do Sul. A notícia foi divulgada pela Rádio Internacional da China.

Esta tarde, o ministério brasileiro divulgou nota informando que recebeu documento da embaixada da China em Pequim solicitando informações sobre o foco de Newcastle no Rio Grande do Sul. A confirmação do foco aconteceu no começo do mês. A doença de Newcastle é uma virose altamente letal que ataca apenas aves, sem risco para o ser humano. Para conter os focos, as aves precisam ser abatidas.

Em documento encaminhado à Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio, o ministério chinês pede exemplares do modelo oficial de certificação sanitária para exportação de carne de aves e a lista dos veterinários autorizados a assinar o documento. Desta forma, informou o governo da China, as autoridades de Quarentena nas fronteiras poderão tomar os modelos como referência em seu trabalho de inspeção da carne de frango importada do Brasil.

A China também pediu informações sobre o programa brasileiro de controle de resíduos de medicamentos em carnes de aves. As informações são da assessoria de imprensa do Ministério da Agricultura. Segundo o diretor do Departamento de Assuntos Sanitários e Fitossanitários da pasta, Odilson Ribeiro, o governo da China solicitou que o ministério comunique, por e-mail, a relação dos certificados emitidos para cada lote de carne de frango saído do Brasil com destino à China.

A AQSIQ quer também uma lista com todos os frigoríficos do Rio Grande do Sul habilitados a exportar carnes de aves para a China. As respostas deverão ser encaminhadas pelo governo brasileiro à AQSIQ na próxima semana.

Atualmente, 24 estabelecimentos estão autorizados a exportar o produto para o mercado chinês, dos quais cinco localizados no Rio Grande do Sul.

O Brasil começou a vender carne de frango para a China em 2004, quando foi assinado o protocolo sobre quarentena e condições sanitárias e veterinárias do produto a ser exportado para aquele país. No ano passado, o Brasil exportou aproximadamente US$ 80 milhões em carne de frango in natura para o país asiático, aumento de 132% em relação ao exportado em 2004.