O secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Luiz Eduardo Cheida, irá apresentar nos próximos dias a proposta de criação do Programa Merenda Orgânica para os secretários de Educação, Maurício Requião; da Saúde, Cláudio Xavier, da Agricultura e Abastecimento, Orlando Pessuti; e da Ciência e Tecnologia, Aldair Rizzi.

?Queremos que este Programa seja desenvolvido em uma grande parceria para que a meta seja alcançada?, disse Cheida. Segundo ele, a idéia é estimular a produção de alimentos orgânicos incluindo-os na merenda escolar dos alunos da rede estadual de educação.

Conforme a proposta elaborada pela secretaria do Meio Ambiente, a Fundepar passaria a adquirir alimentos para a merenda apenas de produtores comprovadamente orgânicos. São distribuídas nas escolas estaduais do Paraná, diariamente, 1,3 milhão de refeições – o que, segundo Cheida, garante um grande mercado e pode servir de estímulo para o aumento da produção orgânica no Paraná que já existe e é de boa qualidade.

?O Paraná será o primeiro Estado do país a desenvolver um projeto deste porte, incentivando a produção orgânica ao mesmo tempo em que cuida da saúde das crianças. A questão ambiental é, antes de mais nada, uma questão social?, afirmou Cheida.

Na fase inicial do programa está prevista sua implantação em 66 municípios que possuem 463 escolas, beneficiando mais de 183 mil alunos.

Um levantamento da Empresa Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) indicou que em seis anos, a produção de alimentos orgânicos cresceu 12 vezes no Paraná. Na safra de 1996/1997, foram colhidas 4,3 mil toneladas de produtos orgânicos; já na safra de 2002/2003 a produção saltou para 52,2 mil toneladas.

O número de propriedades voltadas para a agricultura orgânica, por sua vez, saltou de 400 para 3,9 mil no mesmo período, distribuídas em 86 municípios paranaenses. ?Pode ser uma excelente alternativa de mercado fortalecendo a economia local com aumento de arrecadação, criação de novos empregos e viabilização da produção familiar?, destacou o secretário.

Como médico, Cheida explicou que o objetivo é fornecer às escolas um alimento sadio, de qualidade, capaz de combater o crescente número de crianças obesas em razão da má qualidade dos alimentos servidos nas cantinas e ainda reduzir o uso de agroquímicos no Estado. Segundo ele, o Paraná é o segundo Estado do país em consumo de agrotóxicos e que os últimos índices da Secretaria de Saúde indicaram aumento no número de óbitos pelo uso destes produtos.