O Ministério do Desenvolvimento Agrário prorrogou por mais 55 dias o pagamento da segunda etapa do Bolsa-Seca Sul, do Programa Bolsa Estiagem, porque quase dois mil agricultores familiares do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná ainda não compareceram às agências do Banco do Brasil para receber o benefício.

Segundo o coordenador da área de monitoramento e avaliação da Secretaria de Agricultura Familiar do Ministério do Desenvolvimento Agrário, Jacksongilliam Nagornni, esses agricultores, que perderam mais de 50% das culturas de soja, milho, feijão , algodão, arroz, mandioca e banana da safra 2003/2004, inscreveram-se no programa Bolsa Estiagem no ano passado.

Para receber o benefício, no valor de R$ 300, o agricultor deve ir à Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) ou à prefeitura de seu município para procurar seu nome em uma lista que o ministério disponibiliza na internet (www.mda.gov.br). "Se estiver na lista, basta comparecer a uma agência do Banco do Brasil com o documento de identidade e o CPF para retirar o dinheiro", disse Nagornni.

Mais de 54 mil agricultores da região Sul foram beneficiados com o pagamento do Bolsa-Seca Sul. O governo pagou, até agora, cerca R$ 16,5 milhões. O programa Bolsa Estiagem beneficiou os agricultores que não tiveram acesso ao crédito de custeio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), com renda mensal média de até dois salários mínimos, e que declararam perda de pelo menos 50% da safra.