O acordo entre o Ministério do Desenvolvimento Social e o Ministério Público Federal para fiscalizar o programa Bolsa Família começa a dar resultados. Foi descoberta na prefeitura de Teresina, capital do Piauí, a maior fraude nos benefícios do programa. Mais de 1.100 servidores municipais estavam irregularmente no cadastro para receber os recursos.

A fraude foi detectada pelo Ministério Público Federal após o cruzamento da lista dos beneficiários do Bolsa Família no município e a relação de funcionários públicos. "A ação está dentro de nossos processos de parceria e é um exemplo de cooperação exemplar", afirmou o ministro do Desenvolvimento Social, Patrus Ananias.

Segundo ele, a prefeitura identificou os casos a partir da iniciativa do Ministério de disponibilizar as informações sobre o cadastro. A partir dos casos identificados, o Ministério Público tomou as medidas legais cabíveis.

O governo federal suspendeu o pagamento de todos denunciados e comunicou a diretora do Cadastro Único da Secretaria de Renda e Cidadania, Lúcia Modesto, para acompanhar o caso. "Já determinados, numa ação coordenada com a prefeitura, a suspensão imediata do pagamento de todas as pessoas denuncias. Vamos apurar criteriosamente, mas sem nenhuma concessão ou procedimento que firam a lei do programa Bolsa Família", disse o ministro, que está em Porto Alegre para participar do 5º Fórum Social Mundial.

Também há suspeitas de irregularidades na concessão dos benefícios em outros municípios do Piauí. O Ministério Público vai apurar todas denúncias da capital e do estado e, segundo o ministro, pode até exigir a devolução do dinheiro pelos servidores públicos.