Ao comentar os resultados da pesquisa Perfil do Trabalhador Formal Brasileiro, do Serviço Social da Indústria (Sesi), o ministro do Trabalho, Luiz Marinho, disse que o "governo está trabalhando pesado" para aumentar o número de trabalhadores formais no país. O estudo mostra que o número de trabalhadores com carteira assinada no ano de 2003 aumentou 9% em relação a 2001. Além disso, aponta que a quantidade de pessoas que recebiam até três salários mínimos aumentou de 58,1% em 2001 para 64,2% em 2003.

Os dados do estudo, divulgado ontem (4), têm como fonte a Relação Anual de Informações Sociais (Rais) de 2003, do Ministério do Trabalho e Emprego. Durante entrevista coletiva concedida às emissoras de rádio da Radiobrás (Rádio Nacional AM de Brasília, Nacional AM do Rio de Janeiro e Rádio Nacional da Amazônia), transmitida ao vivo com a participação de jornalistas de dez emissoras parceiras, Luiz Marinho informou que, em 33 meses de governo Lula, foram criados cerca de 3,4 milhões de empregos com carteira assinada, numa média de 105 mil novos postos de trabalho a cada mês.

"O trabalho de fiscalização é bastante eficiente e tem melhorado esse indicador", afirmou. "Essa média de emprego com carteira assinada é muito importante e nós precisamos preservá-la ao longo de alguns anos para debelar de vez o problema do desemprego no país".

Outro fator que pode explicar a maior formalização, segundo o ministro, é o crescimento econômico. "A economia brasileira está num processo de crescimento. Nós, felizmente, chegamos numa situação que, se olharmos para os últimos 25 anos, é o momento de maior consistência e temos certeza de que ela pode continuar crescendo anos a fio e gerando emprego".