O governador Roberto Requião e o secretário de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldair Rizzi, formalizaram, nesta sexta-feira (23), o repasse de R$ 1,5 milhão ao Instituto do Câncer de Londrina (ICL). Além deste repasse, o Governo do Paraná vai subsidiar o instituto com R$ 100 mil mensais, em 26 parcelas. ?É o nosso contraponto à política econômica de ajuda a banqueiro, na forma de atenção à saúde e às instituições sérias como esta?, declarou Requião.

Requião lembrou que o Governo do Estado está construindo 15 novos hospitais. Vindos do Fundo Paraná, o repasse de R$ 1,5 milhão será administrado pela Universidade Estadual de Londrina. O dinheiro vai ser aplicado na estruturação do Programa de Modernização Tecnológica da Unidade de Tratamento Intensivo, do Centro Cirúrgico e do Setor de Medicina Nuclear do ICL. Segundo a dotação orçamentária do Estado, R$ 446.350 mil serão repassados ainda neste ano de 2005.

SUS 

O repasse mensal será feito por 26 meses pela Secretaria da Saúde garantir a qualidade de assistência aos pacientes do Sistema Único de Saúde. O Hospital do Câncer é uma instituição de utilidade pública municipal, estadual e federal e sempre desempenha, além da assistência médico-hospitalar, um importante papel social na região atendendo 93% dos pacientes do SUS. ?É uma parceria que está trazendo bons resultados na região Norte do Estado. Sempre que possível, ajudamos as instituições para que dêem um atendimento de qualidade aos pacientes do Sistema Único de Saúde?, disse o secretário de Estado da Saúde, Cláudio Xavier.

O repasse destina-se a manter a regularidade dos atendimentos aos pacientes que necessitam de tratamento contra o câncer. O hospital é referência no atendimento ao câncer no Paraná e atende todos os tipos dessa doença. No ano passado cobriu uma região de mais de 210 municípios do Paraná. ?Com a regionalização, os municípios diminuíram, mas a demanda continua grande?, disse o presidente da diretoria executiva, Nelson Dequech.

Atividades

O hospital atendeu, este ano, mais de 3 mil pacientes, somente no ambulatório e, além disso, mais de 2 mil estão em tratamento. Atualmente, 120 crianças e adolescentes estão em tratamento e o hospital tem capacidade para 150 pessoas que necessitem permanecer internados. ?Esperamos que o instituto continue realizando trabalho com qualidade e que os pacientes tenham o melhor acesso ao tratamento?, enfatiza o diretor de Sistemas em Saúde da Secretaria, Gilberto Martin

Requião visitou um dos três novos hospitais que o Governo do Estado está construindo e destacou que o Estado tem uma média de oferta de leitos de UTI superior à nacional. ?Pode haver uma distribuição ruim, que a central de leitos deve corrigir, mas o Paraná tem 5% dos seus leitos hospitalares nas UTIs enquanto que a média nacional é de 3,5%?, completou.